Opinião

Opinião Anápolis: Vander Lúcio Comenta crise na Saúde

Não temos, ainda, no Brasil, um modelo de política da saúde pública que contemple as necessidades básicas, as demandas mais prementes da população. E não é de agora. Mas, só que, agora, ao que consta, ultrapassam-se os limites da tolerância. Sabe-se que os governos gastam muito, mas, gastam mal, com a saúde pública neste País. E, parece que, com o correr do tempo, a situação tem ficado pior. Tomemos o exemplo de Anápolis (em que pese esforços e mais esforços do prefeito Roberto – caso mais recente o da Santa Casa de Misericórdia – para dar à comunidade um mínimo de tranquilidade quando se trata da nossa saúde).

Anápolis uma cidade polo, capital econômica do Estado, geradora do segundo maior produto interno bruto de Goiás, sede de uma universidade estadual, com um parque industrial invejável, dentre outras vantagens sobre os demais municípios da região. Com todos esses avanços, a população, ainda, sofre com a falta de uma assistência de melhor qualidade. Reclama-se que o Município sofre a carga de seus circunvizinhos, que enviam doentes para cá. É verdade, mesmo. Mas, não se reclama dos moradores das cidades próximas que para cá vêm comprar no comércio, na indústria, estudar nas escolas particulares de interagir econômica e financeiramente com Anápolis e, aqui, deixam milhões e milhões de reais. Então, seria elas por elas.

Quanto ao mais, o que poderia estar faltando é a chamada prioridade, sendo a número um, com certeza, a saúde dos cidadãos. Nas duas últimas décadas, seis hospitais fecharam suas portas em Anápolis. Independentemente do motivo, isto, de fato, sobrecarregou a rede pública. É verdade, também, que foram abertos dois novos estabelecimentos do gênero e há a proposta de, pelo menos, mais dois. Só que, hospitais particulares. O que o povo precisa, mesmo, é de portas abertas para o atendimento macro, pacientes de baixa renda, trabalhadores assalariados, gente que não pode pagar plano de saúde, muito menos, consulta particular.

Por: Jornalista Vander Lúcio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *