CoronavírusGoiás

Laboratório do Instituto Senai de Tecnologia, em Goiás, reforça combate à pandemia da Covid-19

Espaço deve ser inaugurado em janeiro, com capacidade para realizar cerca de 800 análises de testes, diariamente.

Goiás ganha reforço no combate à Covid-19. Laboratório de Biologia Molecular, do Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas, vai analisar amostras de testes da Covid-19, aumentando a capacidade do estado goiano de realizar testagem em massa na população. O ambiente possui estrutura qualificada para realizar, diariamente, cerca de 800 testes do tipo RT-qPCR, considerado “padrão ouro” pela Organização Mundial da Saúde.

A gerente do Instituto Senai de Tecnologia (IST), Karolline Fernandes, detalha a estrutura do LabMol. “Os ambientes foram planejados especificamente nessa atuação de diagnóstico molecular, para enfrentamento da Covid. Todos os ambientes contam com cabines de segurança biológica; nós temos um ultrafreezer, com capacidade de menos 86 graus, e equipamento moderno para análise de RT-qPCR”, detalha.

O espaço de 130 metros quadrados fica localizado no Setor Vila Nova Canaã, em Goiânia, no prédio do Instituto Senai de Tecnologia, no entanto está aguardando a liberação da Vigilância Sanitária, para início de operação. Segundo a gerente Karolline Fernandes, a expectativa é que a inauguração ocorra ainda no mês de janeiro.

Segundo o epidemiologista da Sala de Situação da Universidade de Brasília, Jonas Brant, os testes de RT-qPCR são mais eficientes para detectar o novo coronavírus e têm menores chances de dar um falso negativo, se comparado aos testes rápidos. Ele explica que os testes rápidos e sorológicos conseguem identificar anticorpos contra o vírus no organismo, mas podem levar de 7 a 15 dias para ter um resultado eficiente – tempo que o corpo humano leva para produzir essa defesa.

Já a técnica RT-qPCR é capaz de detectar diretamente a presença do vírus no organismo, como explica a gerente do IST, Karolline Fernandes. “A tecnologia utilizada pelo LabMol consiste na tecnologia de biologia molecular, onde se detecta a presença do vírus, na amostra do paciente. E para fazer essa análise é utilizado um equipamento que se chama amplificador”, explica.

Onde realizar o teste

O LabMol é um prestador de serviço para os laboratórios de análises clínicas, que fazem a coleta swab nasal (cotonete), para realização do RT-qPCR. Portanto, o espaço do Instituto Senai não realiza o exame diretamente no paciente, mas recebe as amostras enviadas pelos laboratórios credenciados.

A gerente do IST, Karolline Fernandes, recomenda que quem estiver com sintomas, entre 3 e 5 dias, deve procurar os postos públicos e os planos de saúde. Além disso, a população também pode procurar o posto de coleta do SESI, na Avenida Anhanguera, próximo ao Teatro Goiânia. “Essa coleta não precisa ser agendada. A amostra será encaminhada para o LabMol, para fazer a análise, e o resultado é disponibilizado em até 24 horas”, destaca a gerente.

Testagem para retomada da Economia

O epidemiologista da UnB, Jonas Brant, fala sobre a importância da testagem em massa para retomada das atividades econômicas. “O que a gente precisa organizar é o rastreamento dos casos de contatos. A partir de uma pessoa suspeita, vou coletar uma amostra dela, para saber se ela tem Covid, e vou buscar as pessoas com quem ela teve contato, para garantir que essas pessoas fiquem isoladas e possam ser testadas rapidamente. Então, vou criando barreiras para tentar garantir que a doença não se espalhe”, detalha.

O laboratório do Instituto Senai de Tecnologia faz parte da Rede de Biologia Molecular, cujo objetivo é apoiar diversos setores da economia na retomada segura de suas atividades, como escolas, indústrias, hospitais, universidades, comércio, etc.

Além disso, o IST criou o Projeto Senai Zero COV, que – com o apoio do Laboratório de Biologia Molecular – vai realizar a testagem de Covid-19 em superfícies de locais de uso comum, como maçanetas, mesas, cadeiras, entre outros. Conforme explica a gerente do IST, Karolline Fernandes, com essa ação, empresas, indústrias e comércio podem agir de forma corretiva e preventiva, para limitar o impacto da transmissão do vírus.

Fonte: Brasil 61

 

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas