AnápolisTrânsito

Para prevenir coronavírus, motorista de app em Anápolis instala cabine em carro

Para proteger os passageiros que transporta e a si mesmo, o motorista de aplicativo Divino Pereira de Souza, de 45 anos, instalou uma cabine de acrílico no carro para evitar a disseminação de coronavírus, em Anápolis.Para o motorista, que faz cerca de 40 viagens por dia, disponibiliza álcool gel e exige que os passageiros usem máscara durante a viagem, a estrutura é uma forma de aumentar a segurança de todos dentro do veículo.

“Muitas pessoas estão saindo de casa, não podemos deixar de trabalhar, mas podemos nos proteger desta forma”, afirma.

Para instalar a cabine de acrílico, que permite transportar até quatro passageiros, Divino gastou R$ 250. A maioria das demais cabines, segundo ele, tem divisórias apenas para três passageiros. A instalação foi feita na última quinta-feira (30).

“Eu comprei as placas de acrílico e eu mesmo instalei. Não tive um gasto muito alto e foi bem tranquilo de colocar. Gastei cerca de 4 horas para posicioná-las e, depois, finalizei com uma borracha e uma fita amarela para sinalizar que ali há uma estrutura”, conta.

A ideia de instalar a cabine surgiu após ele ver, por fotos, exemplos similares de motoristas de aplicativo de outras cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro.

Em menos de uma semana de instalação, a novidade já foi aprovada por muitos passageiros.

“Os passageiros estão adorando a ideia, comentam que se sentem mais seguros e que a cabine podia ter em todos os carros. Espero que meus colegas façam também, é um proteção tanto para nós motoristas, como para os passageiros”, relata.

Preocupação

De acordo com o motorista, por conta da quantidade de viagem diárias, ele acaba tendo contato com passageiros vindo de hospitais ou que estavam em algum tipo de aglomeração, o que aumenta a preocupação durante a rotina de trabalho.

“Graças a Deus não tive casos de Covid-19 na minha família, mas a preocupação é enorme, sei que com essa cabine eu posso me proteger e também proteger o outro”, destaca Divino.

Com agência de Notícias/G1/

Tags

Related Articles