GoiásManchetePolítica

Ismael Alexandrino é o novo presidente do Ipasgo no Lugar de Hélio Lopes

Anúncio foi feito por Caiado e o secretário de Saúde irá acumular os cargos

O governador Ronaldo Caiado (DEM) anunciou na tarde desta segunda-feira (20) que o secretário estadual de Saúde (SES-GO) Ismael Alexandrino é o novo presidente do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo).

O anúncio ocorre poucas horas depois do do anúncio da saída de Hélio Lopes da presidência do Ipasgo.

Com isso, Ismael Alexandrino acumulará as funções de secretário estadual de Saúde e de presidente do Instituto.

Além de Alexandrino, atuarão na Pasta em uma frente de trabalho o chefe da Controladoria Geral do Estado, Henrique Ziller, e os secretários de Segurança Pública Rodney Miranda, e de Governo, Adriano da Rocha Lima.

“Essa força-tarefa entrará agora no Ipasgo para que haja toda esta ação que nós acreditamos que, atualizando as faturas que foram apresentadas ao Ipasgo e fazendo uma auditoria detalhada nós esperamos ter talvez uma diminuição no gasto em torno de 15% a 20%”, disse Caiado.

Lopes deixou o cargo em meio a polêmica no instituto por causa do corte de 50% das cotas de atendimentos eletivos. O Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO), contudo, determinou que o Ipasgo restabelecesse as cotas de atendimento eletivo na noite de quinta-feira (16).

Vale lembrar, Lopes assumiu o Ipasgo em 2 de julho. Ele, que substituiu Silvio Fernandes e é filiado ao DEM (partido de Caiado), presidiu a Apae de Anápolis por nove anos.

Coletiva de Ronaldo Caiado sobre mudanças no Ipasgo

Durante a apresentação, Caiado aproveitou para dizer que nenhum usuário do Ipasgo ficará sem exames ou tratamentos. Segundo ele, contudo, foi pedida uma auditoria, uma vez que ocorreu um aumento de 29,8% nas despesas com rede credenciada de 2020 para 2021: subiu de 1,38 bi para 1,79 (apenas até agosto).

O gestor levantou, ainda, a possibilidade de fraude em valores cobrados ao Ipasgo. Ele declarou que a auditoria mostrará a procedência dos valores. “Valores autenticados como corretos serão pagos. Aqueles utilizados no procedimento dos pacientes”, disse ao reforçar que os prestadores de serviço. “Os prestadores já receberam, não estamos em dívida.”

Sobre a limitação das cotas em 50%, o governador disse que não houve essa redução. Segundo ele, “existe dentro da dependência a necessidade de fazer o exame”.

Com Agência de Notícias/

Related Articles