Manchete

Cerâmicas em Anápolis começam a ter liberação de argila para extração

Cerâmicas dependem apenas da liberação pela secretaria municipal do Meio Ambiente

O setor cerâmico de Anápolis, Ouro Verde e Campo, que entrou em decadência em virtude de dificuldade para a extração de argila, caminha para a normalidade depois de uma decisão da SECIMA.

Em entrevista ao jornalista Jairo Mendes, o presidente da Associação das Cerâmicas informou que duas lavras de argila, ambas situadas a poucos quilômetros da Vila Fabril, foram liberadas pela secretaria estadual de Meio Ambiente. Esta decisão dá fôlego às cerâmicas da região, que ainda hoje transportam matéria-prima extraída em São Francisco de Goiás, a 70 quilômetros de distância.

O custo dessa operação tirou a lucratividade, fator que levou ao fechamento de 18 cerâmicas da região. As que ainda funcionam operam com ociosidade e demitiram mais da metade dos funcionários. Para voltar a extrair argila em Anápolis as cerâmicas dependem apenas da liberação pela secretaria municipal do Meio Ambiente, que precisa referendar a decisão tomada pela secretaria estadual.

Edição: Marcus Vinicius Isaac

Related Articles

2 thoughts on “Cerâmicas em Anápolis começam a ter liberação de argila para extração”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *