Goiás

Deputado Humberto Teófilo afirma que máfia de leilões continua atuando no Detran

O deputado Delegado Humberto Teófilo (PSL) discursou na tribuna do plenário durante o Pequeno Expediente da sessão ordinária desta quinta-feira, 17. Na ocasião, ele apresentou denúncia que fez, nesta manhã, nas redes sociais referente ao que chama de “máfia dos leilões em Goiás”. “O cidadão que tem um veículo apreendido, com a conivência do Detran, tem de pagar multas, pátio do Detran, licenciamento e guincho. Depois pega o termo de liberação, mas não é suficiente. Tem de pagar também novas taxas para os leilões”, afirmou o parlamentar.
Humberto afirmou, ainda, que passou pela experiência de pagar R$ 700 de taxas para o Detran e mais R$ 1.900 para a Leilomaster para a liberação de uma carreta no valor de R$ 700. “É um absurdo o que esses leilões estão fazendo. E o pagamento tem de ser em dinheiro ou pix, não tem como comprovar nada, pois quem recebe é um preposto do leilão. Estão tomando dinheiro do cidadão há mais de dois anos. Agora gostaria de saber quais as providências que serão tomadas”, questionou Teófilo.
“Busque a Justiça para ressarcir esse dinheiro que foi tomado de você, cidadão. Também queremos que o Ministério Público repare de forma coletiva todas as pessoas que foram lesadas. No âmbito administrativo, já fomos na ouvidoria para que os contratos possam ser rescindidos e o presidente do Detran, afastado. Vamos denunciar em todos os órgãos de fiscalização e policiais necessários.  Governador, faça o que é preciso”, concluiu.
De acordo com o diretor de operações do Detran, Juliano Bezerra, a cobrança do pátio só pode ser feita caso o veículo esteja na empresa de leilões até o prazo de 180 dias. Após esse período, a prática é considerada abusiva. Das empresas procuradas pelo parlamentar, apenas a MC Leilão segue de acordo com o que está previsto nos contratos de liberação.
Agência Assembleia de Notícias

Related Articles