CidadesGoiásJustiça

Vereador de Cristalina é afastado por envolvimento em esquema de ‘rachadinha’

Ação é desdobramento da Operação Toma Lá Dá Cá, que apurou fraudes na Câmara Municipal de Cristalina

A Justiça de Goiás determinou o afastamento imediato do vereador por Cristalina Pablo Magela por participação de esquema de “rachadinha” na Câmara Municipal. A decisão, de sexta-feira (24),  que acolhe ação do Ministério Público de Goiás, ainda bloqueia os bens do parlamentar, até o limite de R$ 74.488,77, e do ex-secretário de Esportes Vinícius Alexandre Soares Batista Abujamra, até o limite de R$ 24.829,59.

Segundo apurou o Ministério Público, o vereador e o ex-secretário realizavam, entre si, operações bancárias de saques, depósitos e transferência de valores.

O promotor Ramiro Carpenedo Martins Netto, autor da ação, levantou que, no dia 20 de dezembro de 2018, Vinícius realizou saque no valor de R$ 5.629,59 e, na mesma data, depositou exatamente o mesmo valor na conta de Pablo Magela.

O promotor ainda ouviu testemunhas que afirmaram que a “rachadinha” não se restringia aos servidores comissionados. Funcionários efetivos que recebiam gratificações acabavam destinando parte dessa verba aos vereadores.

Além disso, interceptação telefônica autorizada judicialmente pela Vara Criminal demonstrou que Pablo já tinha conhecimento da investigação e adotou medidas para apagar provas que pudessem incriminá-lo.

A ação é desdobramento de investigação que culminou na deflagração da Operação Toma Lá Dá Cá, em março deste ano. Naquela ocasião, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em desfavor de cinco vereadores e dois servidores, bem como efetuada a prisão preventiva de três parlamentares.

A reportagem tentou contato com a defesa dos acusados, mas não obteve sucesso. O espaço está aberto para a livre manifestação.

Com Agência de Notícias/
Tags

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *